Últimas postagens

2/52: Planner Review – #52semanasdeplanner

2/52: Planner Review – #52semanasdeplanner

Nesta segunda semana do desafio, trago o review de um planner grátis que usei em Dezembro de 2017, e que gostei bastante, do blog Enfim, Resolvido. Neste link aqui, a autora disponibiliza uma versão 2018 para download, pra quem tiver interesse. A primeira coisa que […]

Semana 1/52: growth tracker #52semanasdeplanner

Semana 1/52: growth tracker #52semanasdeplanner

Começouuuuu o #52semanasdeplanner! Que felicidade! <3 Um post por semana pra falar de planners. Eu confesso que sempre tive muita dificuldade pra terminar esses desafios contínuos, mas é um assunto tão instigante, e me anima tanto! Sei que em alguns momentos a criatividade, a disposição […]

Janeiro: tudo novo, nada diferente

Janeiro: tudo novo, nada diferente

No final do ano passado me dispus a ajudar alguns amigos e conhecidos com suas resoluções de ano-novo, como parte de alguns estudos pessoais, que espero poder compartilhar mais a respeito em breve. Chegou Janeiro e estou percebendo a galera ansiosa, querendo fazer tudo ao mesmo tempo agora.

Eu sempre fui assim. Tantas vezes passei Dezembro planejando, Janeiro implementando e nem bem tinha chegado Março, e eu já tinha me perdido na minha ansiedade. Acho que essa ânsia de fazer tudo que não fizemos em um ano em um mês é muito natural. E destrutiva.

Nenhum processo de mudança, por mais honesto que seja, é rápido. A mudança vai acontecendo e em muitas vezes, até mesmo depois que a gente já se sente mudado, a gente derrapa, desliza e se perde um pouco.

O clima que fica das festas de ano novo nos incita a implementar novos projetos em nossas vidas, e isso é bom porque não deixa de ser um incentivo. Mas não deve nos dominar. É bom que Janeiro seja o mês de coisas novas, mas é bom também que as mudanças sejam graduais.

Eu percebi que a transição de ano pra mim foi fluida como nunca havia sido antes. Não senti de fato que foi uma grande mudança de ano como eu costumava esperar e até forçar para que fosse. Foi muito mais estar subindo uma rampa suave do que um degrau alto.

Essa constatação foi uma alegria pra mim, porque me senti conectada com um propósito muito profundo, que vem se confirmando nos últimos dois ou três anos. E eu queria muito que meus amigos pudessem experimentar essa sensação.

Apenas não se engane, porque isso não quer dizer de forma alguma que as coisas vão começar a sair perfeitas na sua vida. Eu mesma ainda não terminei meus setups para 2018, terminei o ano com pendências importantes e não consegui cumprir um objetivo primário pra mim em 2017, que era terminar o ano numa situação financeira melhor. Mas me sinto no caminho, mais do que nunca.

Então eu proponho que a gente viva esse 2018 mais como brisa do que como furacão. Defina o seu lema para o ano e se agarra nele. Eu defini que depois de “persistência” em 2017, esse é o meu ano de “fazer e não reclamar”. O trabalho vai ser árduo, a vida vai continuar enrolada e as horas de sono podem diminuir, mas estou indo, no meu tempo, sem titubear. Devagar e sempre. Um dia de cada vez e cada dia melhor.

Imagem: https://everydayloveart.com/product/autumn-breeze/

E se a ansiedade aumentar, compartilho uma tática minha que sempre funciona: coloca tudo que te angustia num papel. Pode ser uma lista, pode ser um mapa mental. Não precisa fazer sentido. Dobra e bota numa caixinha, ou separa um caderno pra ser o seu caderno da angústia. Te garanto que 90% do que for escrito lá, não terá mais importância no dia seguinte. Até mesmo essa angústia de Janeiro despontando aí em você.

Melhores planners: nacional, importado e free

Esse post será o último das prévias do #52semanasdeplanner, depois é pra valer. Frio na barriga! Já estou montando um cronograma, espero que se torne um conteúdo que as pessoas gostem! Bom, eu tinha começado uma lista de planners nacionais, e outra de planners importados, […]

Planners para 2018: minhas escolhas

O segundo post dessas prévias do #52semanasdeplanner é pra falar das minhas escolhas de planners para 2018. Se você não tem ideia do que eu tô falando, vem conferir esse primeiro post, em que fiz uma introdução com tudo o que você precisa saber pra […]

Encontros in Off: Thamires

Hoje começo uma série de posts chamada Encontros in Off, que é resultado de uma série de transformações pessoais que começaram quando engravidei do João, e tem como marco a criação do Grupo Gaia. Esse grupo tem como objetivo cuidar de mães e de crianças, veja a descrição para saber mais.

A partir dessa minha transformação eu tive a oportunidade de conhecer mulheres fortes, maravilhosas, que trazem dentro de si, mesmo que não saibam, uma força ancestral e sagrada incrível. Aprendo muito com essas mulheres, e sinto muita gratidão por ter cruzado meu caminho com o delas.

E eu quero traduzir em palavras o que eu aprendo com cada uma dessas mulheres, trazendo para cada post da série a essência da força de cada uma, que tento captar cada vez que as encontro. Espero que meus leitores consigam absorver um pouco disso, por meio dos meus textos. Todas as sextas teremos um encontro in off marcado, aqui no blog (ou pelo menos a promessa dele).

Hoje começo por uma mulher que conheci há pouco mais de um ano. Furacão, patrola sem freio, que nem eu. Desde que a conheci e nos tornamos amigas, a minha sensação é sempre a mesma: nunca haverá tempo suficiente para que consigamos compartilhar nossos sonhos, planos e frustrações uma com a outra.

A Thamires é uma mulher cuja força cabe na leveza de uma pena. Uma pessoa do bem, que só fala bem e emana bem. Ela é a amiga que sempre tem uma palavra positiva, de consolo. Ela sabe acolher como poucos.

Ela é mãe de dois meninos incríveis, doces, felizes. É de uma dedicação ímpar, e eu admiro um bocado como ela se desenrola bem com rotina, casa, filhos, marido, cachorro e trabalho. Nunca vi essa mulher desalinhada, e a beleza dela é daquelas que vem de dentro, da felicidade que exala, pela gratidão para com a vida que tem.

Thamires é fotógrafa de comida, e o trabalho dela dá pra conferir aqui. Depois volta e me diz o que achou, tenho certeza que iremos concordar. Pra mim, a sacralidade dessa minha amiga está na maneira sempre positiva com a qual ela encara a vida.

Essa pessoa nunca desanima. Até quando ela reclama, permanece positiva, confiante. E eu me inspiro muito nisso todos os dias. Penso nela quando me percebo reclamona, desanimada. Eu quero ser um pouquinho que nem ela, todos os dias.

O meu encontro com a Thamires me ensina que é preciso saber abraçar a vida. Que é possível encarar um mundo duro, e tantas vezes machista, com uma força feminina, que apesar de delicada, é intensa e avassaladora. Que dá pra ter coragem de abraçar sonhos e viver com paixão num momento, e em outro se aninhar na rotina, nas pessoas que são importantes pra gente pra conseguir acolher.

Eu agradeço por esse feliz encontro!

thamires

Planner para 2018: tudo o que você precisa saber para escolher o seu

2018 tá chegando, e vai ter #52semanasdeplanner sim senhor! Eu fiz um primeiro post, mas depois repensei a coisa toda, e resolvi que isso será algo que quero fazer no ano que vem, com muito carinho e planejamento. Mas enquanto o ano que vem não […]

52 semanas de planejamento: semana 41

Venho planejando coisas a minha vida inteira. Sempre usei agendas e sempre fui dependente delas. Me lembro de uma vez, a única em que perdi uma agenda na minha vida, em que passei uma semana inteira sem rumo, alienada, completamente perdida. Vivo planejamento 52 semanas […]

Salva pelo gongo

poster_21_08

Sempre carreguei comigo uma impressão muito forte, amparada por fatos, de que sempre que estou a um passo de a vaca ir pro brejo, algo extraordinário acontece, pra me tirar do perrengue. Me lembrei disso nessa última semana, que foi que nem andar de montanha-russa.

Questões relacionadas a trabalho, um downsizing aqui, uma situação pendente acolá, e toda a minha rotina e planos para os próximos meses prestes a ruir. Eu estava arrasada. Lembrei do ano de 2011. Eu tinha acabado de pedir demissão num emprego, crente que ia passar no mestrado e viver de bolsa de estudos.

Passei na seleção e virei mestranda, mas fui a penúltima colocada. Isso significou que, com todo o otimismo do mundo, eu só veria a cara da bolsa em mais ou menos um ano. Não queria e nem podia voltar pra agência, porque as aulas do mestrado eram durante a semana, de tarde.

Foram 2 ou 3 meses muito complicados financeiramente, e quando eu esgotei praticamente todos os meus recursos, num daqueles dias que você se pergunta: “e agora, José?”, eis que surge um freela. Um tempo depois, na semana em que o freela acabou, fui pra uma agência em que consegui acertar um horário que me permitiu conciliar trabalho com o mestrado.

Outra situação marcante dessas foi a minha demissão do GDF há quase 4 anos: num dia de noite recebi a ligação informando meu desligamento. No dia seguinte, Éden, meu ex-chefe, me liga avisando de uma entrevista agendada em outro lugar. Menos de 24h depois eu estava na entrevista, fechando um freela que depois viraria uma contratação permanente.

Voltei à minha semana passada e me perguntei qual seria a minha salvação de última hora, e essa foi radical. A bendita solução chegou a exato 1 minuto da catástrofe, o brejo já tinha sujado as pernas e a barriga da vaca. Mas tudo enfim se resolveu.

Eu fui salva pelo gongo. Ou pelo anjo da guarda, como preferir. Só sei que eu fiquei devendo uma, seja lá pra quem for. Boa semana proceis.

P.S.: Vou tentar ilustrar os posts (semanais, eu espero), com uma frase legal que eu tenha lido por aí, e tenha escrito por aqui nos meus caderninhos.

Checklist fim de ano {revisão 2016/planejamento 2017}

No mês passado, resolvi dedicar um pouco do meu tempo pra ajudar outras pessoas com o que sei fazer de melhor, que é planejar, elaborar checklists. Em Novembro, eu republiquei uma planilha que fiz há muitos anos, de checklist de social media, e resolvi começar […]