Mudança, enfim acabou (ou quase)

Hoje fazem 17 dias que estou na casa nova. Ainda tem muito o que arrumar, mas o grosso já foi: já tenho a minha cama, já dá pra cozinhar, lavar roupa, ver TV, acessar a internet. Ainda restam algumas coisas para organizar espalhadas pela sala, arrumar o quarto do João e o jardim.

Estou de férias e acredito que conseguirei arrumar o que falta nesse tempo. Escrevi esse post para dizer que, contrariando todos os meus receios, tudo transcorreu tranquilamente. Em grande parte, porque eu fiz tudo com tempo, então valeu cada planilha, cada minuto investido em organização.

Logo que soube que estava grávida, já inseri a mudança na lista de providências a tomar até o nascimento do João. Em Dezembro comecei a guardar meus pertences, em Janeiro comecei a sondar alguns imóveis até a reviravolta no fim do mês, de decidir morar junto com o pai do João. E em Fevereiro transcorreu a mudança de fato, entrega do imóvel antigo etc.

Sei que nem sempre dá pra fazer as coisas com tanto tempo quando se trata de uma mudança, mas dessa vez, ao contrário de todas as que já fiz na vida, a experiência foi positiva e nada traumática. Ainda assim foi tudo muito cansativo, principalmente por causa das dores nas costas que tenho sentido.

Se não fosse pelo apoio dos familiares e amigos, e a contratação de bons profissionais, teria sido muito mais complexo. Não carreguei quase nada de peso, e ainda assim houve dias em que eu chorei, tamanha era a dor que eu estava sentindo. Tenho sacralização da lombar (e não fibromialgia, como sempre acreditei), um probleminha congênito, que sempre me gerou muito desconforto. Imaginem como isso piora com o peso da barriga.

Mas passei por isso. A adaptação está sendo tranquila agora, depois de uma primeira semana bastante tensa: se acostumar com os barulhos de uma casa (e não morrer de medo), tentar minimizar o stress dos gatos, passar manhãs e tardes inteiras esperando técnico, entregador, montador e por aí vai. E barulho de furadeira? Existe algo mais cruel?

Tudo vale a pena pra ver esses carinhas tranquilos <3
Tudo vale a pena pra ver esses carinhas tranquilos <3

A convivência com o pai do João está sendo harmônica. Somos os dois bastante sossegados, e temos nos entendido bem quanto às tarefas da casa, e o respeito do espaço alheio. Confesso que não estou estranhando em nada ter um roomate depois de 9 anos morando completamente sozinha.

A parte chata é que essa mudança saiu cara, MUITO cara. E ainda tenho enxoval pra montar! Esses gastos vão se refletir e comprometer todo o meu orçamento de 2015, então será preciso paciência pra repriorizar contas e fazer alguns sacrifícios.

Procuro sempre ter um olhar positivo sobre todo o processo: me atenho às coisas divertidas, como organizar meu quarto, poder ter uma hortinha e um mini-jardim, me distrair organizando o quarto do João. E claro, aproveitando pra descansar, sempre que possível.

A mudança e as minhas férias ficaram muito bem situadas, e está sendo ótimo ter os próximos 10 dias pra descansar, reordenar a rotina e finalizar o processo. Espero ter que me preocupar de novo com uma mudança só daqui muito tempo!

Pra quem quiser relembrar o histórico de posts sobre a minha mudança, aí estão os links:

Mudança: lá vem mais uma

Notícias da mudança + metade da gravidez